Pensatempos

Orlando Figueiredo


Deixe um comentário

O cúmulo do ridículo

capesChamar o cúmulo de algo ao que quer que seja é sempre um risco. Com toda a certeza, irei encontrar algo que me soará mais ridículo que a foto que hoje aqui deixo. A CAPES – Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – é uma instituição governamental brasileira que tem por competência gerir a investigação científica do país. Para que tudo fique mais claro, a CAPES está para o Brasil como a FCT – Fundação para a Ciência e Tecnologia – está para Portugal. No passado dia 27 de julho a CAPES juntou um grupo de oração na sua sede, em Brasília, liderado por um padre católico e celebrou uma hora de missa e oração. É caso para dizer:

Pai Nosso que Estais no Céu,

A Bolsa Nossa de Cada Dia nos Dai Hoje…

O ridículo da situação é, de facto e por si só, revelador do estado politicamente e intelectualmente deplorável a que chegou o país. O desrespeito pela separação institucional entre Estado e igreja é grosseiramente violado, a promiscuidade entre uma instituição de financiamento público e gestão científica com o que de mais podre e vicioso tem a igreja católica é catastrófica e, mais grave, os brasileiros parecem lidar, de um modo geral, bem com a situação. Este é mais um resultado de um longuíssimo processo demagógico que culminou com a tomada de poder pelos radicais cristãos. É o que acontece quando as nações perdem o tino e esquecem que há mais livros publicados além da bíblia.

Lamento-o por ti, Brasil, pátria de língua partilhada.