Pensatempos

Orlando Figueiredo


5 comentários

Há alternativa…

O Chipre e a Islândia são duas pequenas economias insulares profundamente dependentes do turismo e da pesca – a sardinha, no primeiro caso, e o bacalhau (a par de algumas baleias), no segundo. Ah, ambas as ilhas estiveram sujeitas a bolhas de setores financeiros diversos e a crises financeiras severas. Uma das ilhas reagiu tomando notas das dívidas e colocando na prisão os banqueiros corruptos. A outra (depois de uma heroica luta contra a Troika), desalojando pessoas das suas casas e pagando a bancos (estrangeiros) e a instituições financeiras. Hmmm…

cod

Tradução do artigo There is an alternative… de Edward Fullbrook (merijnknibbe), publicado em Real-World Economics Review Blog a 26/02/2016.

 


Deixe um comentário

A hesitação do Reino Unido perante a União Europeia

O “Brexit”, British exit (da União Europeia), está na ordem do dia por toda a Europa. O cenário é complexo. Se as recentes negociações entre David Cameron e o Conselho Europeu, levadas a cabo em Bruxelas, terminaram com o celebrativo Twitter de Donald Tusk, Presidente do Conselho Europeu:

a realidade é que o referendo sobre a permanência do Reino Unido na União Europeia está marcado para junho. David Cameron tem quatro meses para convencer os britânicos que ficar é a melhor opção. A questão é fraturante, tanto do lado dos conservadores como do lado dos trabalhistas. As opiniões dividem-se e ambos os lados possuem apoiantes da permanência e da saída. David Cameron, primeiro-ministro e líder do partido conservador, decidiu fazer campanha pela permanência do Reino Unido na União Europeia, porém, Michael Gove, ministro da justiça do governo presidido por Cameron, já declarou publicamente que vai fazer campanha pelo “Brexit”. Continuar a ler


Deixe um comentário

A Rapariga Dinamarquesa

Lili Elbe – Elbe, como o rio que deixa da República Checa e atravessa a Alemanha para se afogar no Mar do Norte – é um ícone do movimento de emancipação transexual. Lili foi o primeiro transexual masculino a submeter-se, na Europa dos anos 1920, a uma operação de mudança de sexo. Não encontrando forças para vencer as complicações resultantes da segunda operação, Lili Elbe sucumbiu ao sonho que não podia deixar de viver.

Com quatro nomeações para Óscares em 2016 (entre as quais a de melhor ator principal: Eddie Redmayne e melhor atriz secundária: Alicia Vikander) o filme The Danish Girl ou A Rapariga Dinamarquesa, baseado no romance de David Ebershoff, conta a história de como Einar Wegener se transforma em Lili Elbe.

O filme é delicioso.

A fotografia, a beleza dos diálogos, as interpretações, são elementos primordiais na composição de uma atmosfera que deixa transparecer uma felicidade suave, sóbria, naturalista, todavia penetrante, desta bela história de amor.

Mas tudo isto seria nada, sem a capacidade sedutora de Eddie Redmayne. Lili e Einar são capazes de despertar paixões simultaneamente suaves e sóbrias, agâmicas e sexuadas, platónicas e libidinosas.

São duas horas de amor eterno, porque, já o sabemos, enquanto dura, o amor é para sempre.


Deixe um comentário

RBI – Debate

Debate sobre a aplicação do Rendimento Básico Incondicional – A transição para uma alternativa social inovadora

Organização: Grupo de Estudos Políticos, PAN, Movimento – Rendimento Básico Incondicional Portugal, Grupo Teoria Política – CEHUM, IHC

15 e 16 de fevereiro

Assembleia da República – FCSH/UNL

Consulte o programa completo em: http://www.rendimentobasico.pt/index.php/eventos/

§

No contexto do colóquio sobre rendimento básico incondicional de dias 15 e 16 de Fevereiro o GAIA, em colaboração com os organizadores do colóquio, promove um jantar-debate na segunda-feira, dia 15, pelas 20h30, no GAIA em Alfama, sobre o tema “Rendimento básico incondicional: caminho para uma sociedade mais justa e ecologicamente sustentável ou simples instrumento do capitalismo?”

 O texto que servirá de base à discussão, escrito por Orlando Figueiredo, foi apresentado no dia 7 de Maio de 2014, na Conferência “Rendimento Básico Incondicional? Dignidade e Liberdade”, organizada pelo Grupo de Estudos Políticos da Universidade da Beira Interior – Covilhã, Portugal e pode ser lido aqui: https://pensatempos.net/2014/05/31/rendimento-basico-incondicional-e-sustentabilidade-da-predacao-a-simbiose/

§RB

§

Mais informação sobre o RBI em: http://www.rendimentobasico.pt


Deixe um comentário

Eutanásia

Assunto recentemente abordado no blogue A Semente do Diabo por Lara Silva no artigo Morrer ou não morrer, eis a questão e comentado por João Ferreira Dias em O Direito e a Liberdade de Morrer, o debate sobre a eutanásia está, por via da maioria parlamentar de esquerda, de novo na ordem do dia; e ainda bem.
Por força de circunstâncias laborais, vivo em Bruxelas, na Bélgica; país onde a eutanásia foi legalizada há mais de uma década. O parlamento belga aprovou a lei da eutanásia no dia 28 de maio de 2002 e em dezembro de 2013 o senado votou e aprovou a extensão da lei a crianças com doenças terminais. Aqui e ali ouvem-se notícias (por vezes sensacionalistas) de casos que assumem contornos pouco claros e tocam a fronteira da legalidade. Contudo, são poucos, mesmo muito poucos, os casos que chegam aos meios de comunicação. Desde que a lei foi aprovada, o número de casos de eutanásia na Bélgica ronda os 1400 por ano. No último ano não me lembro de ouvir falar de mais de dois casos no Journal Télévisé, o telejornal de La Une, um dos principais canais francófonos da televisão belga. (Infelizmente, o meu neerlandês ainda não é suficiente para tirar proveito dos meios de comunicação belgas neerlandófonos, mas, no que respeita a este tema, as coisas não devem divergir muito). Continuar a ler


Deixe um comentário

Wild Geese

You do not have to be good.
You do not have to walk on your knees
for a hundred miles through the desert repenting.
You only have to let the soft animal of your body
love what it loves.
Tell me about despair, yours, and I will tell you mine.
Meanwhile the world goes on.
Meanwhile the sun and the clear pebbles of the rain
are moving across the landscapes,
over the prairies and the deep trees,
the mountains and the rivers.
Meanwhile the wild geese, high in the clean blue air,
are heading home again.
Whoever you are, no matter how lonely,
the world offers itself to your imagination,
calls to you like the wild geese, harsh and exciting
over and over announcing your place
in the family of things.

By Mary Oliver