Pensatempos

Orlando Figueiredo

Sete razões para votar PAN

Deixe um comentário

reestruturarCaras amigas e caros amigos,

Aproxima-se o fim da campanha eleitoral das eleições para o Parlamento Europeu, pelo que gostaria de partilhar convosco a minha perspetiva das experiências que vivenciei nas últimas semanas.

No dia 28 de abril, antes de o PAN disponibilizar o Programa Político Europeias 2014 na internet, visitei o Estabelecimento Prisional do Linhó e conversei com algumas das pessoas que aí estão reclusas. A grande maioria desconhecia que, mesmo em situação de reclusão, tinham o direito a votar. Mais tarde o PAN veio a saber que nesse estabelecimento prisional dois reclusos solicitaram o voto antecipado por correspondência. O PAN fez aí a diferença.

Porém, esta está longe de ser a única diferença que o PAN tem sido capaz de fazer. Numa campanha pouco mediatizada, com apenas um debate entre partidos onde o PAN teve assento, e fortemente centrada nas questões económicas, senti alguma dificuldade em fazer passar uma mensagem integral e dar a relevância às outras temáticas. A visão integral do PAN que rejeita o antropocentrismo vigente, e reconhece valor intrínseco e direitos aos Animais e à Natureza, nem sempre transpareceu nos meios de comunicação social. Se por um lado esta situação é indiciadora de que os meios de comunicação começam a ver o PAN como um partido com um projeto social sério e exequível – onde a defesa dos que pela sua natureza não humana não tem voz – por outro lado deixa a descoberto a falta de interesse dos media nestas questões.

Em consequência – sem deixar de referir questões fundamentais como a proposta de Acabar com a Economia da Dívida e de democratizar a produção de dinheiro, ou a atribuição de um Rendimento Básico Incondicional a todos os cidadãos europeus, que permitem criar as condições económicas e sociais para emergir a mudança de consciência que o PAN tanto deseja – irei centrar-me em sete razões que justificam por que no próximo domingo devemos todos ir às urnas e votar PAN.

1) Paralelamente à revolução social exterior, o PAN propõe, através da Política da Consciência, uma revolução interior capaz de fazer emergir a perceção de unidade de cada um de nós com a natureza da qual somos constituintes e não meros instrumentalizadores.

2) O PAN propõe a criação de uma Carta Europeia dos Direitos dos Animais e da Natureza e a constituição de um Tribunal Europeu dos Direitos dos Animais e da Natureza. Com esta medida o PAN busca a formalização do reconhecimento de valor intrínseco aos seres sencientes não humanos e aos ecossistemas, estruturas fundamentais para que a vida prolifere no planeta e se reconheça a interdependência subjacente à condição de todos os seres vivos.

3) O PAN propõe a criação de um Estatuto Jurídico do Animal ao nível da União Europeia, a ser implementado em todos os Estados Membros, que reconheça o estatuto de seres sencientes e preserve o direito dos animais não humanos de verem as suas necessidades e direitos respeitados e plasmados na lei.

4) O PAN advoga a abolição total do uso de animais em espetáculos de entretenimento, com especial relevância para os circos e as touradas, locais onde a violência exercida sobre os animais, o desrespeito pelas suas necessidades, a violação dos seus direitos e o abuso são mais flagrantes. Esta situação tem uma gravidade acrescida, porque se destina a fins inúteis, fúteis e vãos que, mais do que entreter, promovem a alienação do humano em relação aos seus semelhantes sencientes.

5) O PAN propõe que a Política Agrícola Comum retire os subsídios à pecuária intensiva e promova métodos extensivos mais respeitadores das necessidades e direitos dos animais e com menor impacte ambiental.

6) O PAN defende a obrigatoriedade de estudos de impacte ambiental em meio marinho, que até hoje não são exigidos no âmbito da União Europeia, reconhecendo assim a necessidade de proteger os oceanos, e a vida que neles floresce, como parte integrante e interdependente do ecossistema global.

7) O PAN defende a proibição do registo de patentes de sementes, defendendo assim a promoção da biodiversidade agrícola, a soberania alimentar dos países e regiões e a justiça para com os pequenos agricultores que, caso esta medida venha a ser implementada, se veriam obrigados a pagar direitos por um bem que há séculos é património da humanidade.

Mas há muitas mais razões para no próximo domingo votarmos PAN e são apresentadas no nosso Programa Político Europeias 2014 disponível em http://www.pan.com.pt/europeias.

No domingo não fique em casa. Dirija-se às urnas e, em vez de votar num mal menor, vote num bem maior.

No domingo vote PAN.

Lisboa, 23 de maio de 2014.

Orlando Figueiredo

Autor: Orlando Figueiredo

| Professor | Investigador | Ecologista | Ativista | Aprendente do mundo |

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s