Pensatempos

Orlando Figueiredo

(re)Inventado a pólvora

Deixe um comentário

Joseph Needham (1900-1995)

Joseph Needham (1900-1995) foi um cientista, historiador e sinólogo britânico, que ficou conhecido pelos estudos sobre a ciência chinesa e a sua história. Uma das mais importantes consequências do trabalho de Needham foi a desmistificação do eurocentrismo e do mito de que a ciência e os seus métodos são apanágio exclusivo da superioridade da mente europeia. O cientista refutou a origem mitológica da trilogia de inventos – imprensa, bússola e pólvora – usualmente atribuídos ao génio europeu, e mostrou que estes haviam sido inventados e usados pelos chineses antes de surgirem no contexto das sociedades europeias. Em relação à pólvora, por exemplo, Needham refere que no século IX já existiam fórmulas alquímicas chinesas para a sua preparação e que no século XII os chineses já conseguiam produzir explosivos fiáveis.

Em resposta ao seu discurso herético sobre a superioridade da cultura europeia e a sua primazia no desenvolvimento científico, os seus colegas historiadores reclamaram que a ciência chinesa não era nem superior nem anterior à europeia. Tomando como exemplo a pólvora, argumentaram que os chineses apenas a usaram para fogos de artificio e para o trabalho nas minas; porém, foi a superioridade intelectual europeia que lhe deu outros usos e inventou as armas de fogo.

A história conta-nos que os chineses possuíram canhões muito antes de os europeus. Contudo, numa coisa os historiadores que opuseram a Needham estavam corretos: os europeus deram um uso bélico à pólvora que os chineses nunca igualaram. De facto, a invenção das armas de fogo rapidamente conduziu à queda dos castelos feudais e dos seus cavaleiros. Ironicamente, as batalhas a cavalo que se desenrolaram na Europa medieval só foram possíveis graças ao uso dos estribos, uma invenção chinesa que chegou ao ocidente através da Rota da Seda.

Apesar de o argumento usado pelos opositores de Needham se ter revelado falso, não deixa de ser pertinente questionar que espécie de pedantismo e arrogância permite que intelectuais atribuam a supremacia intelectual a uma sociedade que faz uso bélico de uma invenção que outra sociedade apenas usou para fins pacíficos.

Autor: Orlando Figueiredo

| Professor | Investigador | Ecologista | Ativista | Aprendente do mundo |

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s