Pensatempos

Orlando Figueiredo

Carrascos e maus costumes

Deixe um comentário

Galerias da AR 11 de Julho de 2013“Não deixemos que os nossos carrascos nos criem maus costumes” atreveu-se Assunção Esteves a dizer hoje de tarde citando Simone de Beauvoir, depois de mais um protesto nas galeria da Assembleia da República. Beauvoir quando escreveu esta frase referia-se às forças nazis, ocupantes da França durante a Segunda Guerra Mundial. Assunção Esteves, talvez toldada pela visível irritação que deixou sobressair a sua vocação autoritária e ditatorial, ofendeu todo o povo português quando o comparou com os carrascos nazis e ameaçou vedar o acesso às galerias da Assembleia da República.

As duas instituições que deveriam zelar pela saúde da democracia portuguesa, representados pelo Presidente da República e pela Presidente da Assembleia da República (primeira e segunda figuras da nação), pactuam com a ocupação económica de Portugal há mais de dois anos. Os carrascos de Beauvoir são os lacaios dos déspotas do III Reich mandados a oprimir e subjugar a França. Os carrascos do Portugal de hoje não são as pessoas que, em desesperada manifestação continua nas ruas e galerias da Assembleia da República, exigem a demissão de um (des)governo vil, mentiroso e traiçoeiro. Tal como os carrascos da França da Segunda Guerra, os carrascos de Portugal são os lacaios dos déspotas da troica que, sem dó nem piedade, destrói em poucos meses o que a democracia levou quase quarenta anos a construir. Os carrascos de Portugal, lacaios da alta finança, estavam descaradamente sentados na lateral direita do hemiciclo e na bancada do governo olhando de soslaio a democracia e aplaudindo o discurso da oligarquia representada pela Presidente da Assembleia da República. Os carrascos de Portugal fazem parte do governo e são descaradamente apoiados por um Presidente da República que põe os interesses do seu partido à frente dos interesses do país. Os carrascos de Portugal são as ameaças raivosas vergonhosamente proferidas em tom histérico por uma Presidente da Assembleia da República lacaia dos interesse partidários e dos déspotas das alta finança.

Nunca na história da democracia em Portugal assisti a uma tão vil e indigna manifestação da parte de um Presidente da Assembleia da República. O seu comportamento de hoje, Sr.ª Presidente, passa a incluí-la, irrevogavelmente (com um i bem sonoro), na lista muda de nomes presentes no grito de demissão saído, a cada instante, do coração dos portugueses.

Simone de Beauvoir estava certa: “Não deixemos que os nossos carrascos nos criem maus costumes”, porque quando o povo português perder a serenidade e o discernimento capazes de perpetuar os brandos costumes, os carrascos que nos (des)governam, lacaios dos déspotas da alta finança internacional, terão de se acautelar porque poderão vir a provar o seu próprio remédio.

***

Autor: Orlando Figueiredo

| Professor | Investigador | Ecologista | Ativista | Aprendente do mundo |

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s