Pensatempos

Orlando Figueiredo


9 comentários

Com Papas e bolos…

Recentemente tive oportunidade de ouvir as declarações do Papa sobre os gays. As palavras foram:

Se uma pessoa é gay e busca Deus e tem boa vontade, quem sou eu para julgá-la? O catecismo da Igreja Católica explica isso muito bem. Diz que eles [os diferentes] não devem ser marginalizados por causa disso (orientação sexual) e sim que devem ser integrados à sociedade. O problema não é ter essa orientação. Precisamos ser irmãos. O problema é o lóbi por essa orientação, ou lóbis de pessoas ambiciosas, lóbis políticos, lóbis maçónicos, tantos lóbis. Esse é o pior problema.

Esta aparente abertura da igreja, por via do discurso papal, parece ter deixado satisfeita muita gente. O discurso da tolerância do Papa não mostra abertura nenhuma. De facto, apenas vem reforçar o julgamento e a discriminação que a igreja desde à séculos impõe, não em exclusividade, às pessoas LGBT. Poderia começar por perguntar o que acontece aos gays que não buscam Deus? Ou aos que não têm boa vontade? Serão esses julgáveis? Mas não quero ir por aí. Seria falacioso e inútil. Continuar a ler


Deixe um comentário

Abuela Grillo

Baseado numa lenda Ayorea, povo indígena que vive nas regiões fronteiriças do Paraguai e da Bolívia,  Abuella Grillo é uma excelente metáfora sobre a privatização dos recursos naturais.

Já agora assine a petição pelo referendo sobre a privatização da água em

http://www.peticaopublica.com/pview.aspx?pi=P2011N11644


Deixe um comentário

Think twice before you hate…

Homosexuality is found in over 1500 species. Homophobia is only found in one. Which one seems stupid now?


Deixe um comentário

Carrascos e maus costumes

Galerias da AR 11 de Julho de 2013“Não deixemos que os nossos carrascos nos criem maus costumes” atreveu-se Assunção Esteves a dizer hoje de tarde citando Simone de Beauvoir, depois de mais um protesto nas galeria da Assembleia da República. Beauvoir quando escreveu esta frase referia-se às forças nazis, ocupantes da França durante a Segunda Guerra Mundial. Assunção Esteves, talvez toldada pela visível irritação que deixou sobressair a sua vocação autoritária e ditatorial, ofendeu todo o povo português quando o comparou com os carrascos nazis e ameaçou vedar o acesso às galerias da Assembleia da República. Continuar a ler


Deixe um comentário

Aviões, diplomacias e colonialismo.

Que somos colonialistas… dizem os bolivianos legitimamente zangados com a Portugal e a Europa.

E têm razão; mas não é o povo quem coloniza. Como poderia?; se está, ele próprio, colonizado pela ocupação imoral (e ilegal) do CE, FMI e BCE, as três bestas (não de carga mas, de carregar) que puxam a troica colonizadora de Portugal e mais alguns países.

Como acontece com a exploração do animal não humano, também entre os animais humanos a verdadeira besta é sempre quem domina e explora.

Aos bolivianos, e a todos os que se indignaram com o comportamento infame do nosso governo, um alerta: não confundam o povo com aqueles que o (des)governam; não confundam a besta que carrega, com o vítima que curva sob o peso da carga.

Na indignação, somos todos bolivianos.