Pensatempos

Orlando Figueiredo


Deixe um comentário

Chega! Reivindicamos o nosso país – 25 de Abril sempre

Chega! | “Quase 40 anos após o 25 de Abril, estamos inevitavelmente face a uma nova revolução. A mudança de sistema iniciará o seu curso assim que os primeiros seres humanos se decidirem verdadeiramente pela construção de novas estruturas de vida.”



Um apelo assinado por:
Paulo Borges, Partido pelos Animais e pela Natureza;
Tamera Centro de Pesquisa de Paz;
Movimento 12 de Março;
TERRAKOTA;
Pedro Valdjiu, Blasted Mechanism;
Movimento Zeitgeist Portugal;
Transição e Permacultura Portugal;
Convergir;
Herdade Freixo do Meio;
Braga em Transição
Mais informações: https://www.facebook.com/Movementfora…


Deixe um comentário

1.º Seminário Internacional Pensamento Crítico na Educação

O Centro de Investigação “Didática e Tecnologia na Formação de Formadores” (CIDTFF) da Universidade de Aveiro vai realizar o primeiro seminário sobre pensamento Pensamento Crítico na Educação em Ciência.

Descarregar o cartaz

A finalidade deste seminário é: analisar e discutir a investigação e formação que tem sido realizada sobre o Pensamento Crítico em Portugal e outros países; estabelecer uma agenda de investigação e formação na área; construir uma rede de investigadores e formadores sobre o Pensamento Crítico na Educação.

Visitar o website

São destinatários deste seminário todos os que têm realizado investigação, formação ou pretendem iniciar ou aprofundar a reflexão ou investigação sobre o Pensamento Crítico na Educação: docentes, professores/educadores, formadores e investigadores de todos os ciclos de ensino (do Pré-escolar ao Ensino Superior), e de áreas disciplinares diferentes, como as Línguas, as Ciências Naturais e Físico-Químicas.

Visitar o website da Rede Pensamento Crítico


Deixe um comentário

Código postal

Pedagogia críticaLos Angeles é a capital dos sem-abrigo dos Estados Unidos. Em L. A., em qualquer noite, 50.000 a 80.000 pessoas passam a noite nas ruas do condado. Em raras ocasiões, no café, podemos ver um sem abrigo sentado ao lado de um actor, que reconhecemos mas não nos conseguimos lembrar do nome, a discutir o estado da economia. Muito provavelmente, veremos um espetáculo de riqueza. É impossível não reparar que Los Angeles é uma cidade de pessoas que têm e que gostam de mostrar uma enorme riqueza. De facto, Los Angeles, tem mais agregados familiares com rendimentos altos do que qualquer outro sitio nos Estados Unidos. Na parte mais luxuosa da cidade – Beverly Hills – o código postal é 91210. Oitenta por cento dos habitantes na área deste código são brancos. Uma das áreas mais abalada pela pobreza de Los Angelea é South Central. O código postal é 90059. Quarenta e oito por cento da população abrangida por este código postal é afro-americana e cinquenta e um por cento são latinos. Para aqueles que labutam nas fábricas ilegais em Eastside, ou que tentam sobreviver às perigosas ruas de South Central, até para alguns dos locais do café da Sunset Boulevard, as promessas feitas pelo capitalismo à maioria dos Americanos parece remota, quase surreal. É difícil explicar a muitos dos jovens que vivem na área do código postal 90059 que a história deles não está pré-determinada, ou que pode mudar de direção. Mas que direção a história deles deveria tomar? A direção de um código postal 91210? Ou a direção de um novo universo social onde os códigos postais já não servem de linhas de demarcação que separam as pessoas com base na sua classe social ou raça?

É nestas avenidas de sonhos desfeitos e ruas de desespero que a pedagogia crítica pode fazer a diferença, que a história pode mudar radicalmente a sua direção, que o começo revolucionário pode criar raízes. E onde se pode ganhar uma nova sociedade livre dos constrangimentos da antiga.

In McLaren, P. (2007). Pedagogia crítica contra o império. Mangualde: Pedago, (pp. 95-6).