Pensatempos

Orlando Figueiredo


Deixe um comentário

Galileo and the Falling Bodies

From another blog of mine.

Orlando's blog

Aristotle (384 BCE – 322 BCE) said heavier bodies fall faster than lighter ones, and so does common sense. But in fact, the speed of a falling body increases by the same rate independently of its mass or weight. It was needed a mind like the one from Galileo Galilei (1564 – 1642) to unveil it, and it was a bitter pill to swallow for some of the powerful of his time.

Galileo was able to understand that, without the resistive forces of air, the rate at which the falling speed of a body increases is independent of its mass or weight. Although the phenomenon has been observed several times on earth under vacuum conditions, in August 1971, astronaut David Scott (pictured in the video bellow), the commander of the Apollo 15 mission, took with him to the moon a feather and a hammer. At the end of the last…

View original post mais 123 palavras

Theism in a nutshell (or on a comic strip)

Deixe um comentário


Deixe um comentário

Between the World and Me

Happy 2017

Another loop

d_watkins_art Aaron Maybin- The Beast Side

Sean Said, When People Lie To You, We Should Not Lie Back, Just Relax And Lay Back, The Truth it Always Come Around, And Will Bite Your Ass, That’s The Boomerang EffectBouncing Back, Everything You Say Behind My Back, Will Always Find a Way To Return Back To Me, IDon’t Care! I’m an #UncommonBreed, Running Through The Speed Force, That’s Another Plane Of Time,Always Trying To Reinforce, Learn To Talk in Morse, Baby Steps in To Html Source, Need Some Space-Time in My Time-Zone.

Lately i Can’t Sleep, i Keep Waking While i’m Dreaming, is Like Living Another Life With no Beginning.

Everything We Possess in Time Will Possess us, This Life is Not a Easy One, People Make To Much Fuss, They Don’t Have The Knowledge

View original post mais 229 palavras


Deixe um comentário

Impostos UBER

Deixando as trumpalhices um pouco de lado e buscando o sentido da insatisfação política de muitos, usando a UBER como instância.

No domingo passado, apanhei um UBER no aeroporto de Bruxelas para vir para casa, a cerca de 12 km do aeroporto. Ao contrário do que me aconteceu no mesmo dia um pouco mais cedo em Praga, em que o inglês da condutora do UBER era, pelo menos, tão mão quanto o meu neerlandês que tento aprender, com este condutor partilhava o francês. Rapidamente puxei a conversa para o que me interessava.

– Compensa ser condutor UBER? O dinheiro chega para viver?

A resposta que obtive não me surpreendeu.

– É difícil… nem sempre o dinheiro chega. Como sou trabalhador independente, o estado belga cobra-me 33% do que ganho para impostos.

– E acha muito?, perguntei.

– Sim, é bastante. E torna tudo mais difícil?

– E a UBER?

– A UBER?! A UBER o quê?

– Sim, a UBER. A UBER cobra-lhe 20% da tarifa que eu tenho de pagar. Façamos as contas: A aplicação da UBER disse-me que esta viagem ficaria entre os 12 € e os 18 €. Vamos supor que me vai custar 15 €, para simplificar. Destes 15 €, há 3,00 € de que não toma sequer conhecimento deles. Apesar de eu ter pago 15 € à UBER para liquidação do serviço que me está a prestar, a UBER só vai transferir para a sua conta 12 €. Por outro lado, o estado Belga irá cobrar-lhe 33% dos 12 € que recebe, o que perfaz um total de 3,96 €. Dos 15 € que dispensei, o senhor recebe 8,04 €. Se daí retirar os custos de combustível, manutenção da viatura e internet do telemóvel, realmente não lhe sobre muito. Se estimarmos estes custos em 10%, restam-lhe 7,24 € dos 15 € que paguei. Compreendo que seja difícil viver com recursos tão limitados.

– Pois…

– Mas deixe-me colocar-lhe uma segunda questão. Queixou-se do estado belga, que lhe cobra demasiado. Contudo, dos 15 € que eu despendi, a UBER ficou com 3,00 € e o estado belga com 3,96 €. Se tivermos em conta que o estado belga lhe fornece as estradas por onde conduz, um sistema de saúde e assistência na doença bastante interessante, escola gratuita para os seus filhos, segurança (policiamento…) além de um conjunto de outros serviços que não vou enumerar e que a UBER lhe fornece uma aplicação, um serviço de GPS que poderia obter gratuitamente com outra aplicação, mais a gestão de pagamentos (do cliente e ao condutor), quem acha que o está a enganar?…

… A ilusão que alimenta a falácia capaz de Brexits e Trumps, não reside apenas no mundo político. Permeia-o, porque este é permeável aos interesses neo-liberais, mas está presente na mais inocente das nossas ações quotidianas.

No domingo passado, apanhei um UBER no aeroporto de Bruxelas para vir para casa.


1 Comentário

Patria

Spot publicitário do salão erótico de Barcelona 2016 – http://saloneroticodebarcelona.com

Vivimos en un país asquerosamente hipócrita, pero algunos no nos rendimos


Deixe um comentário

…fantasmas

Por vezes, os sonhos trazem-nos de volta pessoas que já partiram. Abraçamo-las e beijamo-las com carinho. Depois, quando acordamos, choramos um bocadinho com a mesma tristeza que chorámos quando partiram. Podem ter sido oníricos, os abraços e os beijos. Mas a dor não! Essa é tão real como o foi da outra vez, só que alargada pela saudade.


Deixe um comentário

O cúmulo do ridículo

capesChamar o cúmulo de algo ao que quer que seja é sempre um risco. Com toda a certeza, irei encontrar algo que me soará mais ridículo que a foto que hoje aqui deixo. A CAPES – Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – é uma instituição governamental brasileira que tem por competência gerir a investigação científica do país. Para que tudo fique mais claro, a CAPES está para o Brasil como a FCT – Fundação para a Ciência e Tecnologia – está para Portugal. No passado dia 27 de julho a CAPES juntou um grupo de oração na sua sede, em Brasília, liderado por um padre católico e celebrou uma hora de missa e oração. É caso para dizer:

Pai Nosso que Estais no Céu,

A Bolsa Nossa de Cada Dia nos Dai Hoje…

O ridículo da situação é, de facto e por si só, revelador do estado politicamente e intelectualmente deplorável a que chegou o país. O desrespeito pela separação institucional entre Estado e igreja é grosseiramente violado, a promiscuidade entre uma instituição de financiamento público e gestão científica com o que de mais podre e vicioso tem a igreja católica é catastrófica e, mais grave, os brasileiros parecem lidar, de um modo geral, bem com a situação. Este é mais um resultado de um longuíssimo processo demagógico que culminou com a tomada de poder pelos radicais cristãos. É o que acontece quando as nações perdem o tino e esquecem que há mais livros publicados além da bíblia.

Lamento-o por ti, Brasil, pátria de língua partilhada.